sábado, 26 de janeiro de 2013

Quem quer ser a árvore?- Missão com humildade


Ana Chagas - http://www.compaixaopelasalmas.com

Ser Zaqueu... Ser aquela árvore... Eis a questão!
Todos os cristãos querem ser Zaqueu...
Aquele que teve o privilégio de ser encontrado por Jesus

que logo lhe anunciou que entraria em sua casa...
Aquele que sentiu o privilégio de ter o próprio Messias adentrando em sua humilde casa...
Aquele que recebeu algo diferente em seu coração, algo tão bom, tão envolvente,
Que logo fez tudo mudar...
Aquele que usurpava, defraudava na cobrança dos Impostos em função de sua ambição
mas que, de repente sentiu algo novo...
Não havia mais o desejo de enriquecimento injusto e desonesto, mas em lugar deste velho sentimento sentia agora um enorme desejo de consertar os seus erros,
dos quais agora não havia nenhum outro sentimento, senão o de repulsa, nojo e desprezo...
Aquele que confessou a Jesus os pecados, recebeu o perdão e restauração...
Aquele que recebeu a eterna salvação, a qual ninguém mais poderia lhe arrancar,
pois a mesma estava predestinada para ele...
Como é bom ser Zaqueu... Como é bom receber a atenção de Jesus...
Como é bom ser resgatado... Como é bom ser perdoado...
Mas...
A árvore que ficou lá fora, quem deseja ser?
Quem deseja ser aquele meio o qual serviu de suporte a Zaqueu para poder enxergar a Jesus que certamente passaria por ali?
Quem deseja ser a árvore que serviu de escada, de alavanca, de lugar de observação privilegiada para Zaqueu?...
Quem deseja ser instrumento de Deus para alcançar os perdidos?...
Precisamos ser a árvore, o meio, o instrumento nas mãos deDeus!
Ele quer contar conosco!
Mas é preciso nos comportarmos como aquela árvore...
Servindo, intermediando, facilitando, possibilitando...
Mas saindo de cena quando o personagem principal da história chega.
Jesus é o personagem principal, quando Ele chega, tudo fica iluminado!
Os "figurantes" saem de cena, e deixam que Ele atue!
Ele se responsabiliza pelo desenrolar da história!
A árvore não precisa e nem deve reclamar atenções para si...
A árvore apenas se satisfaz em ter sido útil, ter sido bênção na vida de Zaqueu...
Precisamos direcionar a atenção toda para o Senhor, sem querer nada para nós mesmos.
Fizemos a nossa parte? Pregamos? Agora é com Ele.
Devemos acompanhar sempre os nossos "Zaqueus", porém, não podemos jamais esquecer que a obra interior quem opera é o Espírito Santo...
O agir dele vai muito além, vai no fundo da alma, e é isto que importa!
De que adianta eles subirem na árvore, e logo em seguida despencarem lá de cima sem chegar a lugar nenhum?
É isto que acontece quando queremos fazer o que não compete a nós-meras "árvores", mas a Deus! Quando tentamos forçar a conversão de alguém, entramos numa área restrita ao Autor da salvação e esta atitude precipitada faz com que as pessoas fiquem com a visão embassada porque a árvore é muito frondosa e impede que olhem para Cristo. Devemos pregar com convicção daquilo que pregamos, mas sem pensarmos que somos "os tampas"... Ou, quando pessoas se converterem por meio da nossa pregação, rejeitarmos o "ficar inchados" de orgulho. Claro, a sensação do dever cumprido e de vir os frutos deste trabalho é muito boa, mas devemos sentí-la sem dar lugar à soberba, pois Deus é o Agricultor, é Ele quem faz a semente germinar, brotar, crescer e prosperar...
Há apenas uma preocupação que deve nos incomodar: É a de estarmos sendo fiéis despenseiros de Deus, fiéis arautos do Grande Rei, fiéis embaixadores, para que as pessoas possam receber o leite puro, sem adulteração, e assim, tornarem-se crentes saudáveis e frutíferos para a glória de Deus Pai.

Será que temos buscado trabalhar para o Senhor com humildade?
Será que temos sido aquela singela árvore que apenas cumpriu a sua Missão, a sua função?

Um dia já estivemos lá em cima da árvore...Um dia fomos Zaqueu...
Mas agora estamos prontos para dar frutos...
Agora é chegado o momento de sermos como "árvores": Queiramos ser aquela árvore que ajudou a Zaqueu...
Queiramos ser o instrumento por meio do qual muitos "Zaqueus" virão até Jesus!
Isto deve nos bastar!
Porque Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas! A Ele pois a Glória para todo o sempre. Amém!

Ana Chagas

2 comentários:

Alberto Couto Filho disse...

Abençoamada Ana
Paz

Escrevi, d'uma feita sobre Zaqueu e aquele sicômoro sobre o qual se colocou para ver Jesus.
O título da mensagem, em duas partes, foi DEUS, CIÊNCIA, SICOMOROS - O JOGO DO MISTÉRIO.
Este meu texto, segundo muitos pastores, leitores de meus livros e observadores dos meus escritos, teria sido a tese que levaria a AEBL para tornar-me, segundo alguns, um imortal.
Avesso e arredio a tais homenagens, dei as costas à indicação, até porque, aceitei Jesus que já me prometera desde há muito a vida eterna.
Os comentários recebidos nas duas partes daquele post disseram-me da desatenção dos leitores do texto bíblico à existência daquela árvore que possibilitou, como eu disse no texto, o encontro do homem com o seu destino.
Hoje, finalmente, encontro alguém a falar e escrever sobre a posição daquela figueira quando favoreceu o tacanho Zaqueu, fosse qual fosse a razão que tinha para estar com Jesus.
Quando atentei para o fato de que o Mestre dissera ser da SUA conveniência estar com aquele pecador, passei a estudar a passagem para, mais tarde divergir daqueles que valorizam mais a Zaqueu do que à arvore que ali estava a ensejar o seu encontro com Jesus.
Perdoe-me se tomo seu tempo, mas esta sua postagem muito me faz feliz.
Se quiser, busque na minha página a matéria que fiz sobre o reflexivo e edificante conteudo desta sua mensagem.
Parabenizo-a, com inteireza de coração.
Prossiga, vencendo em Cristo
Seu conservo nEle que nos amou primeiro
Alberto Couto Filho

Jovens Pescadores disse...

Gostei muito da reflexão, que possamos sempre sermos árvores de Zaqueus srsrsrsr

quersersalvo.blogspot.com