sábado, 12 de julho de 2008

O Caminho das Lágrimas


Por: Morris Chalfant

Quando Alexander Maclaren foi convidado para ocupar o púlpito de uma grande igreja batista em Manchester, Inglaterra, ele se reuniu com os seus diáconos e disse: "Cavalheiros, precisamos acertar uma coisa antes de eu assumir essa posição. Vocês querem a minha cabeça ou os meus pés? Vocês podem ter ou uma ou os outros, mas não podem ter os dois. Eu posso ir por aí fazendo isto ou aquilo e tomando chá, se é o que vocês querem; mas não esperem que eu lhes traga algo que possa sacudir esta cidade".

Deus não chama homens para o púlpito a fim de serem pau para toda obra, entregando recadinhos. Ele os chama para se prostrarem rosto em terra diante de sua presença. Os diáconos do Dr.Maclaren entenderam a mensagem; mas quem é que se prostra rosto em terra diante de Deus hoje em dia?

Hudson Taylor, fundador da China Inland Mission (Missão para o Interior da China), conta que quando era estudante universitário, ficou encarregado de cuidar de um homem com um pé gangrenado. Era sua obrigação fazer o curativo no pé do homem todos os dias. Logo ficou sabendo que seu paciente não era cristão e que não entrava numa igreja há mais de quarenta anos. Era tão grande o seu ódio pela religião que se recusou a entrar na igreja por ocasião do enterro da sua esposa.

O jovem Hudson decidiu falar a esse homem a respeito da sua alma cada vez que o visitasse. O homem o xingava e não permitia que ele orasse. O estudante persistiu em lhe apresentar Cristo até um dia em que disse para si mesmo: "É inútil", e levantou-se para sair do quarto.

Quando chegou à porta, Hudson se voltou e viu o homem olhando para ele como se dissesse: "Como assim, você vai embora hoje sem me falar de Cristo?". Nisso, o jovem prorrompeu em lágrimas e, voltando para perto da cama, disse: "Quer o senhor queira, quer não, eu preciso liberar a minha alma. Permite que eu ore com o senhor?". O homem assentiu, foi tocado e começou a chorar. O coração duro, que parecera impenetrável, finalmente se abrira.

O testemunho de Hudson Taylor sobre essa experiência foi: "Deus quebrou o meu coração a fim de poder, por meu intermédio, quebrar o coração daquele homem ímpio".

Peça agora ao Espírito Santo que lhe dê um coração sensível e que faça dos seus olhos uma fonte de lágrimas, a fim de que possa, com a compaixão de Cristo, buscar os que estão perdidos e próximos à morte.

Extraído de um artigo publicado originalmente no periódico em inglês "The Herald of His Coming" (edição de julho de 2004), e em "O Arauto da Sua Vinda" (edição de março/abril de 2005).


Fonte: Revista Impacto

www.revistaimpacto.com.br

2 comentários:

Mauricio Abreu de Carvalho disse...

Olá Sammis

Um ótimo texto, nos leva à prática do serviço cristão.
Obrigado pela visita em meu blog.
Estou acrescentando seus blogs na minha lista.

Um abração.

Faculdade de Teologia disse...

Muito interesante seu post!!! Que Deus continue lhe usando poderosamente!!!!!!!!!!
Abs!
Faculdade Teológica